A nova realidade digital continua a gerar mudanças radicais na forma de gerir negócios e serviços. O impacto é cada vez mais definitivo na dinâmica regular das empresas, que nos aponta o caminho numa direção que não tem volta atrás. Tanto que, em 2021 a faturação eletrónica passou a ser obrigatória na contratação pública em conformidade com a Diretiva Europeia 2014/55/EU e o Código dos Contratos Públicos.

O que você deve saber sobre faturação eletrónica:

» Uma fatura eletrónica é, na prática, um documento idêntico à tradicional fatura em papel, com o mesmo valor legal, no entanto, todo o seu ciclo de vida é digital.
» A emissão, envio, receção e arquivo das faturas decorre unicamente por via eletrónica.
» Deve ser garantida a autenticidade da origem e a integridade do conteúdo da fatura, através da utilização da aposição de um Selo Eletrónico Qualificado, no caso de pessoas coletivas, e de uma Assinatura Eletrónica Qualificada, no caso de pessoas singulares.

3 VANTAGENS DA FATURAÇÃO ELETRÔNICA PARA O SEU NEGÓCIO.

As mudanças acerca dos procedimentos de faturação entraram em vigor logo no início deste ano de 2021, de acordo com o Decreto-Lei n.º. 28/2019, de 15 de Fevereiro, que regula vários aspetos sobre a emissão de faturas, onde se inclui a faturação eletrónica – consulte o Decreto-Lei aqui. De acordo com a Diretiva Europeia 2014/55/EU

Veja, então, quais são os benefícios da utilização da Faturação Eletrónica.

» AUTENTICIDADE: Garante a identidade da entidade que emite a fatura eletrónica.
» INTEGRIDADE: A assinatura eletrónica permite detetar qualquer alteração ao conteúdo da fatura eletrónica.
» SEGURANÇA: Garante a existência de mecanismos seguros, que permitem o seu controlo, para a criação de faturas eletrónicas.

Elimine papel e reduza custos, assinando com segurança e toda a validade legal.

Para saber mais sobre faturação eletrónica, visite o nosso site em www.digitalsign.pt

Leia também…

  • eIDAS 2.0: A nova identidade digital europeia
    eIDAS 2.0. Onde tudo começou: Regulamento n.º 910/2014 Em 2014, foi aprovado o Regulamento n.º 910/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho de 23 de julho de 2014, relativo à identificação eletrónica e aos serviços de confiança para as transações eletrónicas no mercado interno. Ora, este Regulamento tinha como principais objetivos a criação de um […]
  • Qual a importância do Regulamento eIDAS na mitigação do ciber-risco?
    Apesar da transformação digital se apresentar como algo fundamental para a evolução de qualquer organização, esta também traz consigo novos desafios, nomeadamente o inevitável incremento do ciber-risco. É neste contexto que pretendemos explorar o papel que o Regulamento eIDAS pode desempenhar como ferramenta regulatória para a mitigação do ciber-risco. Pese embora tal diploma já se encontre em vigor há alguns anos, verifica-se a existência de um grande desconhecimento sobre os instrumentos introduzidos por este.
  • Já foi publicado em Diário da República o Despacho n.º 5108/2023 relativo à emissão de certificados qualificados de assinatura eletrónica. Saiba tudo!
    No dia 3 de maio de 2023, foi publicado em Diário da República o Despacho n.º 5108/2023 relativo à emissão de certificados qualificados de assinatura eletrónica em que a pessoa singular titular do certificado representa uma pessoa coletiva. Através do referido Despacho, o Gabinete Nacional de Segurança, no âmbito das competências previstas no artigo 6.º […]